domingo, 13 de setembro de 2015

MOFOLÂNDIA


Gosto de dicionários, tenho muitos e de todos os tipos, gosto de consulta-los porque não confio cem por cento nos dicionários virtuais. Internet é papel em branco e aceita qualquer coisa, quando vira papel impresso tem outra conotação e ninguém em sã consciência imprime algo sem revisar ou verificar suas fontes. Tenho Aurélios em diversas edições, Houaiss, algumas versões do dicionário baianês, um dicionário só de termos de moda e outro de termos médicos, dicionários de bolso, de idiomas, e muitos almanaques. Também gosto muito de almanaques.

Não sabe o que é um Almanaque? Segundo o Houaiss “é um folheto ou livro que, além do calendário do ano, traz diversas indicações úteis, poesias, trechos literários, anedotas, curiosidades, etc. Edição especial, mais volumosa, de revistas, de publicação esporádica ou periódica”. É uma boa definição para Mofolândia – O Almanaque dos anos 40, 50, 60, 70, 80, 90, compilado por Antonio Carlos Cabrera, que pretendo abandonar.

Se você gosta de um pouco de nostalgia então este é o almanaque certo, traz a relação dos programas de TV, seriados, desenhos, músicas, brinquedos, celebridades, novelas e tudo que embalou as décadas de 40 a 90 do século passado, com citações e curiosidades, fotos, ilustrações e muito humor. Como diria Cissa Guimarães quando o Vídeo Show era bom de assistir; “direto do túnel do tempo”, frase que já fazia uma alusão ao seriado Túnel do Tempo exibido pela Globo.

Mofolândia é fruto do site homônimo que abriga infinitas curiosidades, virou almanaque em 2005 e é uma delícia de leitura para os que viveram a época, como eu, e fonte de consulta para aqueles que não sabem como éramos ingênuos. Época que as meninas brincavam com Susi e os meninos com Falcon. Que ficávamos com medo cada vez que o Robô gritava “Perigo Will Robinson!” no seriado Perdidos no Espaço. Que muitos pediam uma Grapette e não uma Coca para acompanhar o misto quente. Que assistíamos Telecatch, o MMA dos anos 70 sem suor ou sangue e o lutador era obrigado a usar uma fantasia. Época que já tinha Topo Gigio, muito antes do Louro José. Que Boa Noite Cinderela era só um quadro do programa Silvio Santos que exibia as histórias das meninas que queriam ser a Cinderela da noite, a mais pobre sempre vencia e ganhava uma montanha de prêmios. Que estar na moda era usar uma bolsa a tiracolo e isso valia para homens e mulheres, assim como usar a famosa grife Hang Tem. Uma época que Os Trapalhões era um programa infantil de muito sucesso e tinha um personagem que vivia bêbado, eles faziam todas as piadas possíveis denegrindo gays, negros e nordestinos, e nós, ignorantes, riamos muito disso tudo.

Cidade do abandono: Salvador/BA
Local: Banco da capela N. S. do Resgate - Cabula
Data: 10/10/2015

2 comentários:

  1. Adorei o artigo. Gostaria de ter encontrado o almanaque

    ResponderExcluir
  2. Darcy, é possível encontrar Mofolândia no site Estante Virtual por preços bem módicos. Obrigado por visitar o blog.

    ResponderExcluir