domingo, 10 de agosto de 2014

AMADO MEU


Antes de ser cineasta famoso Pier Paolo Pasolini (1922-1975) foi professor, poeta, novelista e membro do PCI – Partido Comunista Italiano. Homem controverso, participou do Congresso da Paz em Paris, registrou as lutas dos trabalhadores e camponeses com a polícia italiana transformando-a em argumento do seu primeiro romance, foi preso, acusado de corrupção de menores e atos obscenos em lugares públicos, por isso foi expulso do PCI e perdeu o emprego como professor. Passou fome até mudar-se com sua mãe para Roma.

Seus filmes são muito conhecidos pela forte crítica ao governo italiano e sua ligação extrema com a igreja católica, mas também são marcados pela quebra de ruptura da sociedade. Seu mais famoso filme Teorema, que também é livro, mostra um indivíduo entrando na vida de uma família e a desestruturação que é capaz de fazer, em cada membro dessa família vemos representada uma instituição da sociedade.

O livro que pretendo abandonar tem o título de Amado Meu mas possui duas obras do autor; a primeira intitulada Atos Impuros e a segunda que leva o nome do livro. Tanto uma como a outra refletem o estado psicológico do ensaísta Pasolini cujas reflexões sobre o prazer sexual do amor e a repugnância ao ato sexual reprimido pela sociedade e a igreja, nos levam a dúbios pensamentos. Tratado como criminoso o autor nos faz cúmplices da culpa que o atormentava por sentir esse amor que chamam de homossexual e seu impulso para o prazer sempre cortado pelo considerado ato proibido.

Acredito que os poetas, quando abrem verdadeiramente o coração pra mostrar o que se passa dentro deles contribuem imensamente para, de alguma forma, modificar o mundo e as organizações repressoras que neles existem.  Nesses instantes os conceitos de moral, certo, errado, deixam de ter sentido. No fim prevalece o que costumo chamar de 'amor'.

Cidade do abandono: Salvador/BA
Local: Banco do Brasil - Ag. Shopping Barra
Data: 01/11/2014

Um comentário:

  1. Eu tinha essa mesma edição! Se perdeu, algum gatuno passou a mão...

    ResponderExcluir