terça-feira, 17 de abril de 2012

ANO DOIS


Dois anos de blog. Estou emocionado ao escrever e espero chegar ao fim sem parecer piegas. Relendo o post de Um Ano, publicado no dia 17 de abril de 2011, me dei conta de quanto crescemos, não só em número de post escritos, até hoje 86 resenhas, 4.500 visitas, um aumento expressivo já que em 2011 eu estava comemorando 1.000 visitantes, e achando isso o máximo. Além do número de seguidores visíveis que pulou de 25 para 41.

Durante esse tempo ouvi os mais diversos comentários sobre o blog. Recentemente um amigo, Lelo Filho, me fez a seguinte pergunta: Você está se desfazendo da sua biblioteca? Ao responder a ele percebi que essa é a pergunta mais frequente, e o ‘desfazer-se’ tem um peso grande na opinião que as pessoas tem sobre o blog. Uns dizem que sou maluco, outros acham que estou praticando o desapego, e a grande maioria não entende a motivação, que, na verdade, é muito simples - ao abandonar livros estou abrindo espaço. Na décima vez que respondi isso eu percebi o quanto é importante abrir espaços na vida, seja para novos livros, novos amigos, discos, lugares e, principalmente, novas maneiras de encarar a vida e o que ela nos oferece.

Abrir espaço para novos livros e fazer circular aqueles que já li é compartilhar conhecimento com alguém que não espera por isso. É essa a lição que aprendi. Quando abandonei o livro ‘A Última Música’ na balaustrada da praia da Pituba, atravessei a rua e pela primeira vez fiquei dentro do carro esperando para ver o que acontecia. Depois de várias pessoas passarem pelo livro ignorando-o completamente, um casal veio andando devagar, ela olhou o livro e comentou algo com ele, que olhou para os lados e não achou o provável dono, ela se antecipou e pegou o livro, olhou a capa e imediatamente abraçou o livro. Não sei se pela capa, que contém a foto do casal de atores do filme, ou se pelo exemplar em si. Ele tomou o livro da mão dela e colocou de novo no lugar, eu não consegui saber o eles conversavam, ela foi lá e pegou o livro novamente, desta vez o abriu e deu de cara com o texto explicativo do blog, leu, sorriu e mostrou a ele, que também o leu. Ela sorriu, ele também, ela abraçou o livro, deu a mão para ele e os dois continuaram a caminhada. Eu, dentro do carro, chorei de emoção.

Achei que ela fosse escrever um comentário no blog, esperei por dias a fio mas depois percebi que mais importante que um comentário, ou uma visita ao blog, foi o fato de ter proporcionado ao casal aquele momento único, seja lá porque o motivo. Quando vejo na televisão ou no jornal uma reportagem ou foto de um jurista, ou médico, professor, político, eles sempre fazem a entrevista/foto na frente de uma estante, isso vale também para aqueles que querem projetar certa erudição, ou mais confiança em quem o assiste ou lê. Sempre penso se aquela pessoa realmente leu todos aqueles livros, ou foi o arquiteto/decorador que entrou numa livraria ou sebo e montou essa estante na casa do cliente. Sinto realmente uma pena enorme porque acho que qualquer livro merece ser lido, pelo menos uma vez.

Momento agradecimento, não pode faltar, então: agradeço aos meus amigos fiéis, leitores visíveis ou não, aqueles que comentam o blog e mandam sugestões por e-mail. Continuo aqui, enquanto houver livros para ler e eu tiver inspiração para escrever. Obrigado, de verdade.

Na foto: Um cupcake delicioso dos amigos do blog Meu Vilarejo.

8 comentários:

  1. Meu anjo,

    Compartilho com vc esta alegria!!
    Bjs e mais sucesso!
    Vida longa ao blog!!
    Meg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meg, você está sempre presente na minha vida. Bjos

      Excluir
  2. Olá Odilon.

    Tenho procurado esvaziar meu armário de revistas e apostilas escaneando-as e repassando essas fontes de informações a amigos e colegas que estão iniciando na profissão e guardando os arquivos para uma consulta futura. As baratas estão mais tristes também.


    Lembro da minha infância quando meus pais levava eu e minhas irmãs visitar parentes e amigos com relativa frequência e sempre recebiamos visitas. Hoje trocamos isso por ver blogs, posts, scraps, etc. E só encontramos amigos para os que ainda vão em encontros quase anuais no barzinho ou algo assim para conversar e beber alguma coisa.

    Eu não li todos os livros que tenho e li muitos que não comprei e baixei da internet. Deveria como você me desapegar ao menos do que li mas ainda me sinto preso a eles (principalmente aos que ainda não li). Maio é o mês de férias que deverei ler pelo menos uns 4 livros durante a viagem dos sonhos da minha noiva!

    Abraços e parabéns pelos 2 anos de vida do blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adnan,
      Assim como você sou do tempo das visitas, minha família também tinha esse hábito. Hoje temos muitos amigos, na casa das centenas, mas estamos sempre em casa sozinhos no computador. Boas leituras durante as férias.
      Forte abraço.

      Excluir
  3. Odilon,
    Parabéns pelo aniversário de dois anos e, principalmente, pela ideia do blog "em si"... Incentivar a leitura é de grande valor em um país como o nosso. Que a nova classe consumista inclua o livro entre os seus bens! E você, continue exercitando esse desapego agregador e sustentável! Já leu o novo da Danuza Leão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bob,
      Como sempre, seus comentários são enriquecedores. Fico bem feliz com a sua visita. Sim já li o livro novo da Danuza, acho que ela devia escrever mais e sempre.

      Excluir
  4. É difícil numa sociedade consumista e apegada ao material refletir sobre o livro como a possibilidade de educar,dividir,refletir,multiplicar,criar e acima de tudo sonhar....estantes lotadas e corações vazios....não se abandona os livros como não se abandona filhos apenas se da oportunidade deles contribuírem para um mundo melhor.
    beijinhos e muitas letras
    yasodhara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dhara,
      Obrigado sempre pela sua contribuição na minha vida.

      Excluir